Café mineiro é pioneiro no uso de blockchain

O Brasil e os brasileiros possuem uma tradição com o café. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o mercado interno consome cerca de 22 milhões de sacas ao ano e a produção do país é responsável por alimentar 35% do consumo mundial, colocando o Brasil como o maior produtor do planeta. Ainda de acordo com dados da Abic, em 2017, o setor cafeeiro apresentou um faturamento de 21,1 bilhões de reais e continua expandindo. A exigência do crescente mercado de exportação e a relevância dessa produção no país mostram que a área é uma boa opção para a entrada de uma nova tecnologia, que deve, em breve, estar popularizada e presente em todo o globo.


O Café Sabor das Palavras, do sul de Minas Gerais, é um produto artesanal, uma vez que é feito em pequena escala, com grãos selecionados e atenção especial em cada etapa do processo, do plantio à torra média. “Mapear todos os processos e etapas é ótimo para ter um trabalho mais transparente e mostrar isso ao cliente, além de poder ser utilizado em uma perspectiva de exportação”, diz Larissa Garcia, idealizadora da marca de café e usuária do app QuipoAgro.


A QuipoTech oferece o registro das etapas da produção, detalhes do transporte e condições de distribuição em Blockchain, atestando a qualidade do produto final para bancos e seguradoras e consolidando uma relação de transparência com o consumidor.

Café sabor das palavras